Não perca tempo com a faculdade

formatura.jpgpor Ricardo Neves, revista ÉPOCA 14 de maio de 2007

 

Você já ouviu falar na Nasdaq. É a bolsa de valores da Nova Economia, que congrega empresas de alta tecnologia, eletrônica, informática, biotecnologia, telecomunicações, etc. A Nasdaq opera paralelamente à tradicional bolsa de Nova York, criada em 1972 em Wall Street. Foi a Nasdaq que tornou viável financeiramente o crescimento de empresas como a Google, Microsoft e a Apple. Ela é o berço de pequenas e médias companhias que estão mudando de forma radical a maneira como vivemos, trabalhamos e nos divertimos. Pois a nação que tem mais empresas na Nasdaq depois dos Estados Unidos não é a Alemanha, nem França, Suécia, Reino Unido ou Japão. O primeiro lugar vai para Israel que tem 77 entre as 328 empresas  não-sediadas nos EUA com papéis negociados na Nasdaq (mais sobre isso no blog).

 

Os indivíduos e a cultura prevalecente em Israel mais que a ação do governo de um país totalmente desprovido de recursos naturais, criaram uma vantagem em relação aos países que já têm um sistema de educação de qualidade: infundir em sua juventude uma perspectiva empreendedora, inovadora e de apetite pelo risco. Isso faz com que um país de pouco mais de 6 milhões de habitantes vá se tornando campeão no registro de patentes e desenvolvimento de produtos inovadores que ajudarão a construir riqueza e o cotidiano da Sociedade Digital Global para a qual nos encaminhamos.

 

Essa realidade israelense pode servir como referência para o que acontece aqui. O sistema educacional brasileiro é de baixa qualidade. Mas o problema não é apenas esse. Existe outro, mais sério no cerne da cultura brasileira. A responsabilidade pela piora do nosso sistema é do governo. Mas foi a sociedade toda que perverteu o objetivo da formação superior no Brasil. A faculdade virou, para a maioria dos jovens que ainda não sabe direito o que quer fazer, um mero portal para a vida adulta.

 

Estamos criando jovens de cabeça antiga, que vão fazer vestibular sem amadurecimento suficiente. Só porque se convencionou que o caminho natural ao final do segundo grau é a faculdade. Ou porque o pai ou mãe vão achar bonito ter um filho doutor. Ou porque se julga que assim é mais fácil descolar um emprego. Estamos adestrando nossos jovens sem mostrar a eles que é preciso assumir riscos para inovar. Com isso eles se tornam conservadores muito cedo na vida.

 

Uma universidade particular do Rio de Janeiro pesquisou a principal motivação dos alunos matriculados em Direito: 88% estão ali para apanhar o diploma como meio para prestar um concurso público. Temos de despertar essa juventude. Os melhores talentos devem ser estimulados a preparar-se para construir um mundo em que os empregos serão substituídos por projetos e empreitadas por tempo determinado. Não podemos continuar programando os jovens para ser procuradores passivos de emprego. Isso é criá-los para um mundo que não existe mais.

 

Por isso, tenho um conselho para você que está nessa encruzilhada da vida chamada vestibular: não perca tempo com a faculdade. A menos que você tenha clareza absoluta de que sua vocação na vida exige qualificação com diploma universitário. Em compensação, prepare-se para estudar e se reciclar ao longo de toda a sua vida, de forma muito mais profunda e séria do que fizeram as gerações anteriores. Não coloque suas esperanças em PACs para a economia ou para a educação, bem como outras pajelanças macroeconômicas ou de política governamental. Não é isso que nos tirará da irrelevância e do atraso.

 

A responsabilidade é nossa. Como indivíduos, e coletivamente como sociedade, devemos encarar o desafio de ajudar a nossa juventude a sair do logro da faculdade para virar doutor e arranjar emprego.

2 respostas para Não perca tempo com a faculdade

  1. Thiago disse:

    Nossa como estou atrasado,joguei no google a frase”não perca tempo com faculdade’,e cai logo aqui.Isso é mesmo frustrante.Tenho 25 anos,eu não fiz nível superior por opção(fui aprovado em vários vestibulares,todos em faculdades públicas).Sim as vezes me bate um arrependimento,porque tenho perdido várias oportunidades,por não ter nível superior,mas ao mesmo tempo me da um alívio por querer seguir um caminho próprio,fora do mercado de trabalho convencional.As vezes me pego pensando:se tivesse feito faculdade,eu seria mais feliz ou mais bem sucedido hoje?Talvez sim,talvez não.Faculdade em si,não quer dizer muito coisa hoje em dia.Eu por exemplo,descobri que tenho gosto pelas artes(teatro,música e dança),mas já estou velho para investir nisso.Mas também me vejo empreendendo,gerando empregos ,riquezas(não custa sonhar alto)…mas ai pergunto,fazer faculdade para empreender?Não seria isso por si só,uma perda de tempo?Faculdade me faz falta sim,estou fora do mercado,e não tenho para onde ir.Por mim eu não faria uma,mas será que posso me dar a esse luxo?Enfim,,são tantos questionamentos,e nenhuma resposta.

  2. Estuda não porque não posso não a preguisa não deixa não posso não vou não quero não disse:

    A VE SE NAUM ENCHE, SE PUDER FAZER UMA FACULDADE FAÇA EM VEZ DE FICAR COSANDO VAA ESTUDAR POO..

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: