Um currículo pra vender seu peixe

agosto 31, 2008

Essa semana eu pedi demissão da empresa em que eu trabalhei nos últimos quatros anos e meio pra começar a trabalhar de verdade em uma empresa menor, sem benefícios e sem a grife de um grupo multinacional francês.

Acho que já não era segredo pra ninguém que eu era o cara bom em arremessar cestas e que só conseguia jogar no time da equipe de futebol, ou algo mais ou menos como o jogador que tem a habilidade pra atuar no meio campo e que foi escalado obrigatoriamente pra ser o goleiro do time.

É a segunda vez que eu fiz isso. É a segunda vez que eu peço demissão pra poder ir trabalhar.

Uma das coisas que eu aprendi é que conta muito nessa hora ter um currículo matador. Não só pelas experiências onde eu fiz questão de investir, cursos que resolvi fazer ou no trabalho que realizei nas empresas por onde passei, mas principalmente por saber o jeito certo e direcionado de colocar essas coisas no papel pra fazer do meu CV um verdadeiro “outdoor” da minha competência.

Currículo não gera contratação, currículo é passaporte pra entrevista e é certo que sem um bom passaporte você não vai despertar uma vontade imensa do recrutador te conhecer.

A seguir eu postei mais ou menos alguns itens fundamentais em um currículo e a preocupação que você deve ter com cada um destes itens:

Primeiro ponto – Seus Dados pessoais

É desnecessário dizer que basta nome completo, endereço, telefone, email e estado civil neste campo… a Exame, a Você SA. e qualquer revistinha sobre o tema na banca de revista já cansou de falar que colocar número de documentos é coisa da época do seu avô.

O seu Objetivo

Especifique o que você quer. Afinal, você tá enviando o seu currículo pra ser selecionado pra qual vaga?

Quais os seus pontos fortes?

Se você pudesse resumir em três frases o porquê você deveria ser contratado o que você escreveria?

A sua formação acadêmica.

Faculdade, universidade, graduação, pós graduação….. mencione o ano de conclusão ou se você ainda está cursando, cite fatos relevantes da vida acadêmica se você achar adequado pra o que a empresa tá buscando.

Fale das suas experiências.

Fale da sua experiência profissional, mencione as empresas por onde passou, o período em que trabalhou em cada empresa e principalmente, faça um resumo das suas qualificações profissionais, atividades, projetos desenvolvidos e números! Fale de números!

Cursos e conhecimentos específicos.

Fale de cursos que interessem a empresa onde você pretende trabalhar, mencione a sua fluência em idiomas, seu conhecimento de softwares e dispense a menção daquelas palestrinhas de uma hora que você já deve ter assistido em algum momento da vida.

Lembre-se que pra vender  o seu peixe você deve ser ESPECÍFICO: personalize o currículo para apenas uma empresa; e OBJETIVO, enxugue ao máximo as informações no menor espaço possível. Ninguém vai ter muito tempo pra ler o teu currículo – Por isso, dê o recado LOGO!

Pra causar uma impressão positiva, em qualquer coisa na vida, você precisa de pouco tempo.

Apenas 40 segundos pra ser lido e causar uma boa impressão!

Peça Demissão e vá trabalhar!


Não faça panfletagem com o seu currículo

maio 29, 2007

dfdff.gifpor Laura Vidmontas/ HSBC – RH Sourcing

“Panfletar” o currículo ou inscrição para processos de recrutamento é a forma que mais distancia os profissionais das boas oportunidades.

É exatamente o mesmo que atirar para todos os lados: dificilmente se acerta o alvo pretendido, salvo pelo acaso. Quem busca uma colocação ou uma recolocação na empresa em que trabalha ou mesmo no mercado, deve ter uma palavra em mente: OBJETIVO.

A primeira coisa a deixar clara no currículo ou ficha de inscrição, é o que se pretende alcançar, ou seja, o cargo ou a área que se deseja assumir. Esse detalhe tão importante é muitas vezes ignorado pelos profissionais quando não o sabem ou põem-se a enviar seus dados para toda e qualquer oportunidade disponível, apenas com o intuito de mudar ou sair de onde estão.

É comum às consultorias especializadas e às áreas de recursos humanos receberem centenas de materiais de profissionais, muitos dos quais os obrigam a lê-los inteiro para descobrir apenas o que a pessoa quer realmente fazer e ainda assim isso muitas vezes não é possível. Panfletagem é a melhor maneira de se autoboicotar e arriscar-se a deixar de conquistar grandes oportunidades.

Refletir a respeito das vagas sobre as quais toma conhecimento é uma etapa fundamental antes de submeter seu currículo ou ficha de inscrição para análise. Perguntas como “quais são minhas motivações neste momento?”; “estou mesmo preparado para esta posição?”; “este trabalho parece interessante e adequado aos meus objetivos de carreira?” são essenciais para concluir se este é o momento e a oportunidade ideais para buscar e encontrar uma nova colocação.

Gente sem foco na vida aceita qualquer coisa, deixa-se levar pelos acontecimentos em vez de delimitar o seu campo de ação. Procurar qualquer coisa para fazer é o melhor meio de não encontrar nada. Descubra aquilo que você sabe fazer de melhor e vá em busca de uma oportunidade onde isso possa ser um diferencial.

Lembre-se: não desperdice seu tempo, ele é muito valioso e deve ser utilizado em favor de sua carreira.


Use as palavras certas pra vender o seu peixe

maio 16, 2007

Saber usar as palavras certas na sua área de atuação profissional é um ponto fundamental na hora de chamar a atenção de um selecionador experiente para o seu currículo. Só não esqueça que não adianta  usar as palavras-chave da sua área se você não tem conhecimento na prática pra apresentar:

Recursos Humanos: Treinamento e Desenvolvimento, administração de cargos e salários, folha de pagamento e benefícios, recrutamento e seleção, relações trabalhistas, avaliação de desempenho, programas de segurança…

Tecnologia: Novell, Unix, Linux, e-Commerce, suporte, cabeamento, servidor, intranet, Java, browse, firewall, plataforma…

Financeira: Relação com investidores, análise de risco, análise de custos, gerenciamento de fluxo de caixa, análise de crédito, balanço tributário, administração de passivos….

Administrativa: Planejamento de reuniões, apresentação de metas e resultados, controle de inventário, compra, levantamento e escolha de fornecedores, negociação de contratos, gerência de escritório…

Comercial: Assistência técnica, varejo, captação de clientes, desenvolvimento de novos negócios, captação de clientes, marketing de produto, negociação e renegociação, atendimento… 

Demonstre qualidades específicas. O seu currículo tem quer ser míssel teleguiado e não metralhadora giratória. 

Peça Demissão e vá trabalhar!