Você conhece o Scribd?

junho 26, 2010

Você faz parte do time que antes de comprar um livro pesquisa na internet se ele tá disponível pra download pra depois você ler no laptop? Eu faço isso sempre e quase nunca gasto dinheiro comprando livros.

Eu acesso o Scribd!

O site é excelente pra pesquisar e baixar livros em diversos idiomas. Agora mesmo eu baixei um livro muito bom (em português) chamado ”Os 100 maiores contos de humor da literatura universal”.

Enfim, muita coisa boa você com certeza vai encontrar. Vale a pena acessar:

http://www.scribd.com


Leituras: as minhas melhores e piores de 2009

janeiro 2, 2010

2009 foi um ano interessante do ponto de vista dos livros que eu li. Acho que o meu defeito ainda é continuar muito técnico quando o assunto é literatura. A minha vida continua precisando de espaço pra algo de Gabriel García Marquez ou de Isabel Allende, por exemplo (romances latinos estão sempre no topo dos melhores).

Enfim, além das releituras como foi o caso da milenar ARTE DA GUERRA de Sun Tzu e do VOCÊ ESTÁ LOUCO? de Ricardo Semler (grande livro!) o ano teve gratas novidades encontradas no lixo (isso mesmo, no lixo) do corredor dos professores da UFPE. Foi o caso de A REVOLUÇÃO DOS GERENTES do japonês Yoshio Hatakeyama: livro bem escrito e muito bem direcionado pra gerentes em início de carreira. Um achado precioso  com 210 páginas e o dobro disso em experiência e conhecimento pra quem vai ler. 

O ano que passou foi também o ano de ler Mário Puzo em O PODEROSO CHEFÃO, livro que virou filme com Francis Ford Copolla em 1972. A grandeza do livro, sem dúvida, justifica o filme. Na minha opinião, parece ser impossível entender a essência da história da organização chamada Família Corleone sem ter lido ao livro após ter assistido o filme.

2009 foi também o ano de ler livros sobre Jack Welch! Aaah, Welch! Me corta o coração saber que tem uma porrada de gente formada ou estudando cursos de negócios sem nem ter idéia de quem foi o maior executivo do século XX… estudar a história desse homem é essencial pra todo aquele que gosta da administração-business e não da administração-papinho-teórico preocupada unicamente em engordar currículo-Lattes.  

JACK DEFINITIVO (608 páginas de puro tesão) e O EXECUTIVO DO SÉCULO (biografia de Welch escrita por Robert Slater) são o manual do CEO, uma grande experiência pra quem tem sangue no olho, pra quem gosta das grandes histórias, pra quem precisa de inspiração!

Clique aqui para ler os meus comentários sobre o livro feitos aqui no blog em março.

O ano também teve espaço pras barcas furadas. Enfim, aquele tipo de livro bam-bam-bam que a gente ouve muito falar e tem uma imensa dor na consciência depois de ler (do tipo: – Poxa vida, perdi meu tempo!). A barca furada de 2009 pra mim se chamou O VENDEDOR PITBULL de Luís Paulo Luppa… perdi meu tempo lendo receitas que não se aplicam a qualquer vendedor de rua diante de situações reais de vendas… é pra ficar frustrado rapidinho…

Bom, talvez o Luppa tenha mais sorte com o áudio-book. Ele parece bem mais entusiasmado e com uma necessidade talvez um pouco menor de tentar ser engraçado… do livro, todavia, eu não gostei.

Enfim, pra 2010 uma grande dica é O FUTURO DO TRABALHO de Domenico de Masi. Comecei a lê-lo e achei bem sintonizado com algumas coisas que precisamos saber sobre o futuro dessa relação GENTE x EMPRESA.

Pra quem gosta de todo esse papo de geração pós industrial, tendências da tecnologia no trabalho com algum tempero de sociologia vai se apaixonar pelo livro. Quando você começar a ler as primeiras impressões do autor sobre a necessidade de uma vida menos centrada no trabalho você vai entender que ele realmente tinha que ter sido escrito por um italiano.

Boas leituras em 2010!  


As 17 incontestáveis leis do trabalho em equipe

outubro 20, 2009

Tô dando sorte nos últimos amigos secretos que eu participo. Na última quinta-feira ganhei um best seller do John Maxwell altamente recomendado por um grande professor amigo meu.

Depois que eu eu lê-lo vocês já sabem: os comentários sobre o livro vão constar aqui no blog.

97040-2617-large 


Decisão de compra por Rafael Lucian

junho 10, 2009

LUCIAN No próximo dia 16, às 19hs o meu amigo Rafael Lucian lançará pela Editora Universitária o livro Sobrecarga de informações e o processo de decisão de compra na Livraria Saraiva do Shopping Recife.

Uma ótima oportunidade pra sacar a lógica de como o consumidor decide sobre a compra de um produto, diante da disponibilidade de tanta informação.

Será que tanta informação assim significa um EFEITO POSITIVO na hora de decidir o que comprar?

Sobrecarga de informações e o processo de decisão de compra.

Rafael Lucian na Saraiva Megastore do Shopping Recife

16/06, terça-feira, 19:00hs

Agendado!


Sun Tzu e Mario Puzo

abril 8, 2009

Se eu pudesse recomendar dois livros, somente dois livros, pra te ajudar sobre como se comportar nos negócios e na vida eu te recomendaria A arte da Guerra e O Poderoso Chefão.

Eu arriscaria até a dizer que ambos são complementares embora de um livro para o outro exista um intervalo absurdo: Sun Tzu escreveu a Arte da Guerra por volta de 500 a.C enquanto Mario Puzo, deu vida a Dom Vito Corleone, o poderoso chefão, somente em 1969 (d.C claro!).

Ah e não esqueça do filme: Francis Ford Copolla iniciou a trilogia da obra de Mario Puzo em 1975. O livro sem o filme e o filme sem o livro perdem um bocado do sentido.

A arte da Guerra é um tratado estratégico sobre guerra para generais chineses da antiguidade. Foi o livro de cabeceira de Napoleão e de outros grandes generais, enquanto Mario Puzo criou um romance majestoso sobre uma familia de gangsters ítalo-americanos numa guerra pelo poder e pela influência.

Estas duas obras são o meu I-Ching de frases e conselhos sábios de como se comportar pra liderar, influenciar, relacionar-se, cuidar da minha família e conseguir resultados nos meus objetivos. Eu amo estes dois livros.

A guerra acontece todo dia e o tempo todo. O desafio pra você é diário.

O dia em que você se sentir seguro, confortável e em paz  será o dia em que você vai morrer.


Jack definitivo, o manual do CEO

março 25, 2009

04sd5

“Nunca faça concessões que contrariem sua capacidade de ser você mesmo, nem pelo melhor cargo do mundo”

Terminei de ler o Jack Definitivo, autobiografia do ex-CEO da General Electric ontem. Um grande livro não só no tamanho (+ de 500 páginas) mas também no conteúdo extremamente relevante. Mereceu, inclusive, uma revisão e um breve resumo dos meus pontos preferidos num caderno novo que tenho em casa.

A GE é uma empresa gigantesca com negócios que variam de motores de aviões, canais de TV, cartões de crédito, geladeiras e antigamente até mesmo torradeiras elétricas (na década de 80 a primeira geladeira dos meus pais era uma GE vermelha, horrível). Esse colosso dos negócios foi comandado por Welch de 1980 a 2000.

Uma das coisas que mais me chamaram a atenção no livro é a cultura do mérito implantada por Welch na GE. Será que daria certo numa empresa brasileira criar o procedimento de demitir todos os anos os 10% de pior desempenho sem discussão, sem justificativas só com base no resultado puro e seco? Eu acho que a perspectiva paternalista dos nossos funcionários iria fazer a maioria sofrer um bocado… alguém conhece alguma experiência assim nas empresas brasileiras?

Se funcionou na GE, funcionaria aqui?

O melhor do “manual” é que apesar de Jack ter sido um executivo brilhante o cara faz questão de mostrar no livro que ele é de “carne e osso” e revela  trapalhadas homéricas como a explosão do telhado de uma das fábricas da GE enquanto ele fazia experiências no laboratório no início de sua carreira, ou em outra ocasião em que ele troca uma das cartas-propostas de negócio a serem entregues aos japoneses da Mitsubishi e por pouco não bagunça todo o fechamento do negócio.

Justamente no episódio da explosão da fábrica, vai uma aula de liderança não de Jack, mas do superior dele que nas reflexões do maior executivo do mundo ficaram assim:

“Quando as pessoas cometem erros, a última coisa de que precisam é de ação disciplinar. O momento é de encorajamento e de reforço da autoconfiança. A tarefa é restaurar a auto-estima (…) humilhar alguém em um momento de fraqueza pode empurrar a pessoa para o que chamo de vórtice da GE. É algo que acontece em qualquer lugar. Percebe-se o vórtice quando os líderes perdem a autoconfiança, entram em pânico e se afundam no barco da dúvida em relação a si próprios.”

Jack teve quatro grandes iniciativas nos vinte anos em que comandou a GE: implantou o maior programa de qualidade da história da empresa, o Seis Sigma; Globalizou a empresa tirando os americanos e colocando gente do mundo inteiro para ocupar os cargos de liderança; Entrou no negócio de serviços (se eu fabrico os motores porque também não faço a manutenção deles?) e nos últimos anos entrou no mundo dos negócios via e-business. No auge da sua expansão a GE comprava uma empresa à cada quatro dias!

44_12_221_top_jack_welch1

Jack é um cara impaciente. Ele gosta de trabalhar muito, de ver resultados rápidos e sem burocracia. Daria um ótimo consultor pra fazer prefeituras e assembléias legislativas funcionarem. Uma das iniciativas mais curiosas de Welch se chama WORK OUT, uma forma rápida de incentivar a que os problemas sejam resolvidos por quem está mais próximo dele – usar a inteligência do trabalhador pra desenvolver soluções sem ensebar o processo com reuniões intermináveis ou com gerentes que não sabem as reais dificuldades da coisa toda (Se você já ouviu falar da Semco e do Semler isso não vai soar estranho).

O melhor da festa, JW deixou pra um dos últimos capítulos do livro quando ele faz um balanço do que é ser o presidente de uma empresa como a GE e manda uma receita de CEO. Confira:

– Seja íntegro, sempre;

– Dê o tom (o seu afinco e sua forma de tratamento serão imitados);

– Maximize o intelecto, colha as melhores idéias e espalhe-as. A GE apesar de conglomerar centenas de empresas e milhares de negócios em seu portfolio procura soluções o tempo todo no Google, na Microsoft e em diversas outras empresas fora do seu núcleo de negócios;

– Crie uma atmosfera informal;

– Comemore! Garanta que a sua equipe se divirta enquanto produz;

– Diferencie: premie os de melhor desempenho e erradique os de pior desempenho;

– Avalie o tempo todo!;

– Faça trabalho de campo, sempre. Sedes não produzem nada, escritórios não revelam o que pensa o seu cliente ou o consumidor do seu produto. Vá pra rua descobrir o que eles pensam, vá pra fábrica ver a coisa acontecer;

– Estratégia, ações e iniciativas devem ser comunicadas continuamente;

– Compreenda onde a empresa agrega mais valor e concentre ali os mais brilhantes;

– Gerencie de perto quando sentir que vai fazer diferença. Gerencie de longe quando não tiver nada a acrescentar;

E o principal pra mim e pra você: Trabalhe duro se você deseja ser o melhor.

Jack Definitivo tá aprovado mas ainda não acabou. Ontem mesmo já comecei a ler o  Executivo do século de Robert Slater – acho que ainda dá pra aprender mais um pouco com o professor Welch!

.

Peça Demissão e vá trabalhar! Só me interessa isso.

 

 


Administração de materiais em sistemas informatizados

julho 26, 2008

Excelente e-book!

Dica do meu amigo Rafael Egídio, trainee da RM Sistemas, mandando ver no Supply Chain baseado em sistemas informatizados. É só clicar abaixo pra fazer o download do arquivo em PDF.

SCM baseado em SI

Cool!