Orkuticídio da sua carreira

setembro 14, 2008

Orkuticídio ainda não tá no dicionário (eu não tenho dúvidas de que em pouco tempo essa palavra entra) mas se você falar com qualquer pessoa que é usuária do maior site de relacionamentos do Brasil, ela com certeza vai entender: orkuticídio é o mesmo que cometer um suicídio virtual, deletar a sua conta do Orkut.

Eu acredito que dentre tudo o que o Google oferece, nada teve um impacto tão direto na vida pessoal dos usuários quanto o Orkut. Com certeza, o funcionário turco do Google e inventor do site há uns cinco anos atrás não tinha a menor idéia do sucesso que essa coisinha faria por aqui.

A página pessoal do orkut permitiu encontrar todos os colegas da quinta série que você pensava que jamais conseguiria encontrar novamente, permitiu que namoros começassem e acabassem (falo por experiência própria), permitiu que as pessoas conhecessem parceiros de negócios, amigos de viagens, contatos importantes em comunidades interessantes e mais uma coisinha que na minha opinião é o principal: a possibilidade de fazer um marketing pessoal bem eficiente a seu respeito.

Uma das notícias mais comentadas da semana na TV e no jornal nas sessões de carreira e empregos aqui em Pernambuco, foi o fato de que antes das entrevistas, as consultorias de RH tem checado o Orkut dos candidatos como forma de conhecer um pouco da personalidade do cidadão.

Boa sacada! É no orkut que você pode perceber um pouco das preferências, projetos pessoais, aptidões, interesses e opiniões de quem você vai estar colocando pra dentro da sua empresa. Mais um recurso pra você avaliar o cara que vai estar cuidando de parte do seu negócio e que nem sempre revela tudo o que você quer saber na hora da entrevista.

Pra quem tá do outro lado do processo, os cuidados recomendados com o seu perfil é justamente o cuidado básico com tudo aquilo que pode depor contra você. Já imaginou aquela contratação “melar” por causa de uma mancada no profile? Portanto evite:

– Participar de comunidades do tipo: “Eu não suporto meu chefe”; “Eu odeio trabalhar” ou “Eu bebo até cair”;

– Comunidades discriminatórias, com fins ilícitos ou sexuais;

– Álbum pessoal com fotos comprometedoras;

Uma pesquisa da empresa Viadeo (fonte: Blog da Catho) revelou que cerca de 20% das empresas já adotam a prática de “dar uma espiada” no orkut do candidato e 59% dos empregadores assumem que a “pesquisa realizada” influencia a contratação do candidato. Você pode ler a matéria completa do Blog da Catho clicando aqui.

Por isso, vale a pena dar uma revisada no seu perfil.

Ah! E isso vale também pra quem tem o Hi5, MySpace, Facebook, Sonico e todos os outros irmãos menos famosos do orkut.

Não cometa o orkuticídio na sua carreira!

Anúncios

Um currículo pra vender seu peixe

agosto 31, 2008

Essa semana eu pedi demissão da empresa em que eu trabalhei nos últimos quatros anos e meio pra começar a trabalhar de verdade em uma empresa menor, sem benefícios e sem a grife de um grupo multinacional francês.

Acho que já não era segredo pra ninguém que eu era o cara bom em arremessar cestas e que só conseguia jogar no time da equipe de futebol, ou algo mais ou menos como o jogador que tem a habilidade pra atuar no meio campo e que foi escalado obrigatoriamente pra ser o goleiro do time.

É a segunda vez que eu fiz isso. É a segunda vez que eu peço demissão pra poder ir trabalhar.

Uma das coisas que eu aprendi é que conta muito nessa hora ter um currículo matador. Não só pelas experiências onde eu fiz questão de investir, cursos que resolvi fazer ou no trabalho que realizei nas empresas por onde passei, mas principalmente por saber o jeito certo e direcionado de colocar essas coisas no papel pra fazer do meu CV um verdadeiro “outdoor” da minha competência.

Currículo não gera contratação, currículo é passaporte pra entrevista e é certo que sem um bom passaporte você não vai despertar uma vontade imensa do recrutador te conhecer.

A seguir eu postei mais ou menos alguns itens fundamentais em um currículo e a preocupação que você deve ter com cada um destes itens:

Primeiro ponto – Seus Dados pessoais

É desnecessário dizer que basta nome completo, endereço, telefone, email e estado civil neste campo… a Exame, a Você SA. e qualquer revistinha sobre o tema na banca de revista já cansou de falar que colocar número de documentos é coisa da época do seu avô.

O seu Objetivo

Especifique o que você quer. Afinal, você tá enviando o seu currículo pra ser selecionado pra qual vaga?

Quais os seus pontos fortes?

Se você pudesse resumir em três frases o porquê você deveria ser contratado o que você escreveria?

A sua formação acadêmica.

Faculdade, universidade, graduação, pós graduação….. mencione o ano de conclusão ou se você ainda está cursando, cite fatos relevantes da vida acadêmica se você achar adequado pra o que a empresa tá buscando.

Fale das suas experiências.

Fale da sua experiência profissional, mencione as empresas por onde passou, o período em que trabalhou em cada empresa e principalmente, faça um resumo das suas qualificações profissionais, atividades, projetos desenvolvidos e números! Fale de números!

Cursos e conhecimentos específicos.

Fale de cursos que interessem a empresa onde você pretende trabalhar, mencione a sua fluência em idiomas, seu conhecimento de softwares e dispense a menção daquelas palestrinhas de uma hora que você já deve ter assistido em algum momento da vida.

Lembre-se que pra vender  o seu peixe você deve ser ESPECÍFICO: personalize o currículo para apenas uma empresa; e OBJETIVO, enxugue ao máximo as informações no menor espaço possível. Ninguém vai ter muito tempo pra ler o teu currículo – Por isso, dê o recado LOGO!

Pra causar uma impressão positiva, em qualquer coisa na vida, você precisa de pouco tempo.

Apenas 40 segundos pra ser lido e causar uma boa impressão!

Peça Demissão e vá trabalhar!


O que é diferencial competitivo?

julho 13, 2008

Diferencial competitivo é tudo aquilo que torna a sua empresa “ÚNICA” aos olhos do cliente ou tudo aquilo que torna você “DIFERENTE” aos olhos do seu chefe.

O mais interessante neste conceito é justamente que não adianta você ter um monte de diferenciais que só são percebidos por você. Um diferencial que ninguém nota não é diferencial.

Um diferencial só é diferencial se o seu cliente “perceber” estas vantagens, do contrário, possuí-lo não aumenta as suas vendas, não gera indicações importantes pra você e nem te faz conseguir pontos na empresa onde trabalha.

Competir através de diferenciais significa basicamente duas coisas: FOCO NO SEU ALVO (seu cliente ou seu chefe) e FOCO NA DIVULGAÇÃO DESTE DIFERENCIAL. Você deve ter em mente aquilo que é importante pra quem vai comprar o seu produto ou serviço e deve ser muito competente na hora de divulgar o seu diferencial.

Pra você começar a competir eu poderia preparar uma lista grande dizendo que você deve investir em projetos, manter-se atualizado sobre os negócios e o mercado da empresa, opinar nas reuniões, investir em networking, tornar-se polivalente na sua função ou outras dicas commodities que você deve tá cansado de ler na Você S.A. ou nas matérias de RH da Exame.

A sua orientação pra começar a competir deve ser sempre a seguinte: ENTRE NA CABEÇA DAS PESSOAS! PERCEBA O QUE É IMPORTANTE PRA ELAS E INVISTA PESADO EM DESCOBRIR FORMAS DE COMO SER NOTADO.

Agindo dessa forma você pode começar a pensar em conduzir todo mundo na direção que você quiser.

GO AHEAD BROTHER!